Google+ Badge

Cemitério dos livros lidos...

Cemitério dos livros lidos...

Introdução ao Blogue

Porque muita gente associa "cemitério" a algo triste, quero desde já tirar essa ideia em relação a este blog ;) A ideia deste blog é simplesmente arrumar num cantinho especial e cuidado todos os livros que leio, afinal não é isso que fazemos com as pessoas das quais temos que dizer adeus? E por achar que todos eles são especiais e não nos aparecem na vida por acaso... já alguma vez ouviram um livro chamar-vos para a leitura? ;) Não? Então estejam atentos e vão ver como não o escolhem ou apareceu nas vossas mãos por acaso...;)

E sendo a vida no fundo um livro em branco, escrito por nós todos os dias, lembrei-me de "porque não ter um espaço de conversas entre livros sem ser sobre livros", onde possamos falar da actualidade, pensamentos, filhos, dúvidas, receios e partilhas? Ainda mais tendo em conta que sou uma portuguesa de gema, a viver em Buenos Aires... com uma filha pequena, que entende os pais em português, mas se expressa em "portenho"!!! :S lol

E já agora, porque não falarmos e deixarmos entrar um pouco também a minha profissão?... Nutricionista!;) São novas ideias para o ano de 2015 e penso sempre, se é para sonhar que seja em grande! ;)

E quem queira deixar um ou vários livros aqui basta seguir o que está escrito um pouco mais abaixo, do lado esquerdo! ;)

Espero que regressem várias vezes a esta divisão da net! ;)
Boas leituras! :)

Regras do Cemitério...

Eu respondo sempre aos vossos comentários, por isso se não tiver comentário de resposta... é porque ainda não li!;)

Toca a enviar livros ou então entrar apenas para conversar!!;) Vamos fazer deste cemitério um espaço cheio de vida!!;)

sexta-feira, 28 de fevereiro de 2014

Relatividades...

Tão depressa me assusta a relatividade da vida, de tudo poder mudar para melhor de um minuto para o outro, como o poder mudar para pior... Ontem à noite, quando arrumava a cozinha comecei a ouvir sirenes de bombeiros, ambulâncias e policia. A referir que aqui em Buenos Aires, com certeza não existe qualquer tipo de lei quanto à poluição sonora, pois as sirenes são mesmo, mas mesmo altas, ao ponto de ao inicio achar que uma grande catástrofe estava a acontecer... Hoje já não penso assim, razão pela qual só me dirigi à varanda passado um bom tempo, primeiro por ter sempre e desde sempre aquele pensamento parvo de quando passa uma ambulância ou carro de bombeiros "se o som ficar cada vez mais longe é porque não é aqui ao pé" (pensamento parvo eu sei e avisei!! lol), porque ou eram várias sirenes que estavam a passar para um grande acidente ou era de facto algo perto... e era... Um incêndio num prédio da nossa rua!! :S 
(Imagem retirada do google imagens)

Odeio fogo em que sentido for... A rua estava cortada e via fumo a sair por uma janela... É sempre algo que me faz arrepiar até a alma!! :( Não durou muito tempo a conseguirem apagar o fogo, mas acredito que para quem mora no prédio tenham sido minutos transformados em horas!! Passou e dei por mim a pensar claro, na relatividade da vida, em como podemos tentar seguir a nossa vida de forma equilibrada, medir os riscos, os prós e os contras e por um erro / acidente de uma outra pessoa, ou até nosso, a nossa vida mudar ou até em alguns casos terminar... Não faço ideia do que aconteceu, hoje quando sai de casa tive de passar por lá e vi que pelo menos a cozinha e o que me parece ser a sala estavam todas queimadas, felizmente nos outros andares não se via "estragos visíveis", mas fico sempre com o pensamento "e se tivesse sido no nosso prédio?", ou e se tivesse sido em nossa casa... por acaso até já passámos pela experiência de ser no nosso prédio, quando estávamos em Portugal... acidente provocado por uma adolescente que foi fritar batatas fritas... felizmente os danos foram apenas na cozinha em questão e materiais.. mas lembro-me de naquele momento ter pensado "o que é que tenho de levar caso seja algo mais sério", pois no momento, só me cheirava a queimado e quando fui á janela via fumo a sair!! Lembro-me de ter levado a mala, só consegui pensar em carteira, dinheiro, documentos.... Só mais tarde de regresso a casa e em segurança, pensei nas coisas de valor sentimental... e pensamos que de facto são "parvas", mas ao mesmo tempo só de pensar em não as voltar a ver... E nessa fase da vida não existia a M.... Só espero nunca na vida ter de passar por algo assim com consequências realmente sérias... São estes os momentos que sentimos como a vida é tão relativa, às vezes assustadora e às vezes maravilhosa... Mas no fundo é isto estar vivo, não?

2 comentários:

  1. Oh Ana,é das coisas que eu também sinto autêntico pavor!Infelizmente já tive uma situacão dessas,por causa do óleo de batatas...é um verdadeiro horror! Meteu bombeiros e tudo nem gosto de me lembrar...

    ResponderEliminar